Armando Magalhães Corrêa

Armando Magalhães Corrêa. Crédito: Centro Cultural Sertão Carioca – O Sertão Carioca de Magalhães Corrêa.
O carioca Armando Magalhães Corrêa (Rio de Janeiro, 1889-1944) foi escultor, desenhista, professor e escritor. Iniciou os seus estudos de nível superior na Escola Militar de Realengo, transferindo-se mais tarde para a antiga Escola Nacional de Belas-Artes, onde fez o curso de escultura e foi discípulo de Rodolfo Bernardelli. Durante o curso, ganhou um prêmio de viagem de estudos ao estrangeiro, em 1912, e fez um curso de aperfeiçoamento em Paris. Participava regularmente de mostras artísticas, como escultor, inclusive o Salão Nacional de Belas-Artes do Rio de Janeiro, tendo obtido várias premiações entre 1910 e 1930. Deu aulas de modelagem e de arte decorativa na Sociedade dos Amigos de Alberto Torres, da qual foi um dos fundadores. Existem esculturas de sua autoria expostas nos prédios da antiga Câmara dos Deputados e da Escola Nacional de Belas Artes (ambos no Rio).

Colaborou assiduamente no importante jornal carioca Correio da Manhã, escrevendo e ilustrando, com desenhos a bico-de-pena, estudos do passado e do presente da cidade do Rio de Janeiro, inclusive as matérias que deram origem ao livro O sertão carioca. Outras séries de textos publicados no mesmo jornal tiveram os títulos de “Terra Carioca” e “Ilhas da Guanabara”. Corrêa escreveu pelo menos mais um livro sobre aspectos históricos da cidade do Rio de Janeiro, focalizando os chafarizes da cidade, aproveitando artigos da série “Terra Carioca” (Corrêa, 1939. Os dados biográficos foram retirados de Sarmento, 1998; Cavalcanti, 1973; Engemann et al., no prelo).

Fonte

Livros