Aureliano Restier Gonçalves

Retrato de Aureliano Restier Gonçalves. Crédito AGCRJ

Filho de Joaquim Pedro Gonçalves e Carolina Maria Restier Gonçalves, Aureliano nasceu a 8 de abril de 1881 no então distrito de Barra do Piraí, onde cursou o primário na primeira escola da cidade, emancipada do município de Piraí em 1890. Foi um autodidata. Graças ao seu esforço e à sua dedicação, progrediu no funcionalismo ao mesmo tempo em que se transformava em um estudioso da História da cidade do Rio de Janeiro. Tornou-se um de seus memorialistas, narrando ao que assistiu e o que lhe contaram, pois, além de familiares e amigos, entre seus contemporâneos contavam-se os mais destacados cronistas e memorialistas do Rio de Janeiro: Vieira Fazenda, Ferreira da Rosa, Mello Morais Filho, Max Fleiuss, Luiz Edmundo, João do Rio, Noronha Santos. Este foi seu colega e chefe no Arquivo do Distrito Federal. Uma convivência muito rica, já que todos eram homens do século XIX que tinham assistido e participado das mudanças políticas, econômicas, sociais e urbanistas da virada do século XX na cidade do Rio de Janeiro.

Entre 1904 e 1909 trabalhou na administração municipal como extranumerário, exercendo a função de auxiliar de escrita, lotado na Diretoria Geral de Obras e Viação. Sendo extranumerário, só recebia quando realizava alguma tarefa; contudo, o tempo de serviço contava como o de qualquer funcionário efetivamente contratado. Em outubro de 1909, a Diretoria teve ampliado seu quadro funcional com a nomeação de quatorze amanuenses, entre eles Aureliano, então com 28 anos.

Fonte

Veja também

Livros