Caminho do Pão de Açúcar

A PARTIR DE 1913, a cidade contava com mais um belo passeio, que lhe dava outro excelente belvedere sobre as suas incomparáveis paisagens. Era o caminho aéreo para o Pão de Açúcar, feito em dois lances, de seiscentos metros o primeiro, da Praia Vermelha até o Morro da Urca, e o segundo, de oitocentos metros, deste até o alto da mole granítica, a que os franceses de Villegaignon davam o nome de Pot à beurre, e que fica a 395 metros de altitude.

Essa ascensão que se faz hoje comodamente, em vagonete suspenso a cabo-trilho de aço, e apenas em dez minutos, foi por muito tempo façanha desportiva tentada por muito poucos. Praticavam-na, às vezes, marinhando pela rocha ínvia, os alunos da antiga Escola Militar, quando esta ficava situada nas vizinhanças do penhasco. Propala-se que durante o Primeiro Reinado houve certo incidente com um marujo estrangeiro que escalou o Pão de Açúcar e lá hasteou um pavilhão do seu país. Tal gesto desagradou aos cariocas e um patrício nosso imediatamente subiu ao alto do alcantil para ali implantar uma bandeira brasileira em substituição à intrusa.

Fonte

  • Cruls, Gastão. Aparência do Rio de Janeiro: Notícia histórica e descritiva da cidade. Prefácio de Gilberto Freyre, desenhos de Luis Jardim e fotografias de Sascha Harnisch. Rio de Janeiro: José Olympio, 1949. 2 v. (Edição do IV Centenário, 1965).

Imagem destacada

  • Bondinho chegando ao Pão de Açúcar.

Mapa

Morro da Urca e Pão de Açúcar