Largo da Lapa

LARGO DA LAPA – O antigo campo dos frades, da Lapa ou dos Formigões, estendia-se no século XVIII da Chácara das Mangueiras (que pertencera ao governador Gomes Freire de Andrade e fora doada em testamento às freiras de Santa Tereza), até o mar.

Aterrado em 1802, já neste ano registravam documentos oficiais a denominação de Largo da Lapa. Em sessão da Câmara Municipal, de 14 de maio de 1888, sob proposta do vereador José Carlos do Patrocínio, teve a denominação de Isabel, a Redentora. A 21 de fevereiro de 1890 restabeleceu-se o antigo nome de Largo da Lapa, confirmando-o a deliberação municipal de 28 de fevereiro de 1892.

Lampadário Monumental do Largo da Lapa

Tornaram-se célebres as festividades do Divino Espírito Santo que, desde os tempos coloniais, ali se realizavam, instalando-se a Casa do Império em terrenos de aforamento das religiosas de Santa Teresa e mais tarde numa barraca, à semelhança do que se fazia no Campo de Santa Ana e Mataporcos[1].

Na obra de Vaillant – Voyage autour du monde[2], encontra-se nítido desenho da Igreja da Lapa do Desterro e da Rua da Lapa. Coube ao padre Ângelo de Siqueira, missionário apostólico, a iniciativa da construção do edifício destinado a um Seminário e a ereção de uma capela, em terras doadas pelo capitão Antônio Rabelo Pereira, cujas obras foram autorizadas por provisão de 2 de fevereiro de 1751, sem ônus para os frades – segundo Duarte Nunes (Almanaque Histórico da Cidade de São Sebastião)[3]. A 25 de agosto de 1810, o Seminário e a igreja foram cedidos aos frades carmelitas que se haviam mudado de seu convento, no Largo do Paço.

Notas do editor

  1. Estácio de Sá (bairro) – Aureliano Restier GonçalvesExtratos de Manuscritos sobre Aforamentos.
  2. VAILLANT, Auguste Nicolas (1793-1858). Voyage Autour du Monde exécuté pendant les années 1836 et 1837 sur la corvette La Bonite Commandée par M. Vaillant … Histoire Naturelle Zoologie par MM. Eydoux et Soulevet. Paris: Arthus Bertrand, [1844-66].
  3. Antônio Duarte Nunes, Almanaque histórico da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, 1799.

Fonte

Imagem destacada

  • Largo da Lapa no Guia e Plano da cidade do Rio de Janeiro, 1858, publicado por A.M.Mc. Kinney e Roberto Leeder, via Biblioteca Nacional.

Mapa