Largo do Moura

LARGO DE MOURA – Em 1767 chegaram ao Rio de Janeiro, vindos de Portugal, os regimentos de Moura, Bragança e do Chichorro. O primeiro destes corpos militares da primeira linha alojou-se em barracas próximas da Casa do Trem, enquanto aguardava a construção de um edifício para seu aquartelamento no mesmo local. Daí a denominação de – Largo de Moura. [1] [2] [3] [4]

No Vice Reinado do Conde de Resende, em 1794, levantou-se nesse largo um chafariz, com a seguinte inscrição:

O Ilmo. e Exmo. Sr. Dom José de Castro
Conde de Resende Vice Rei e Capitam
General de Mar e Terra do Estado do Brasil
mandou edificar esta fonte

anno MDCCXCIV

Demolido esse chafariz, desapareceu na opinião de Araújo Viana (Velhos chafarizes – A Notícia – 30 de agosto de 1901) “uma das coisas mais curiosas nas construções do velho Rio de Janeiro.”

No largo estiveram a forca e o necrotério, este inaugurado a 5 de janeiro de 1873 por iniciativa de Ferreira Viana.

Até princípios do 2.º reinado ocupava parte do logradouro a forca, bem em frente ao quartel. Leia-se, a propósito Os padecentes, crônica de Vieira Fazenda. (Antiqualhas e Memórias do Rio de Janeiro – tomo 86, pág. 104 – Revista do Instituto Histórico).

Notas de editor

  1. Moura, largo do. Castelo. No fim da Rua Clapp. Fonte: Revista Guia Rex, 1969.
  2. Moura (Largo do). No fim das ruas Dom Manuel e Clapp. 2º Distrito São José. Fonte: Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro – 1891 a 1940 – Morales De Los Rios, Myosotis, vol. I pág. 135.
  3. Música (Beco da). Começa no Largo do Moura e termina na Rua da Misericórdia. 2º Distrito São José. Fonte: Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro – 1891 a 1940 – Morales De Los Rios, Myosotis, vol. I pág. 135.
  4. Em elevado a Avenida Perimetral seguirá pela Praça Marechal Âncora, cortando o Mercado Municipal entre as ruas Clapp e Faroux, alcançando a Praça 15 de Novembro, seguirá pela Rua Borja Castro, entre os edifícios do Entreposto de Pesca e Shell, cortando a Praça Servulo Dourado e trechos dos edifícios do Loide. Fonte: A Noite, 30/09/1957

Fonte

Imagem destacada

  • Largo do Moura no Guia e Plano da cidade do Rio de Janeiro, 1858, publicado por A.M.Mc. Kinney e Roberto Leeder, via Biblioteca Nacional.

Mapa