Rua dos Ciganos

RUA DOS CIGANOS – Aberta em terras de chácaras que pertenceram a Paulo de Carvalho da Silva e Manuel Casado Viana, ao lado do Campo da Lampadosa, durante o vice-reinado do Conde da Cunha (1763-67), e na mesma área de terrenos posteriormente pertencentes à Ordem 3.ª do Carmo. Só em princípios do século XIX regularizou-se o arruamento dessa via pública, então conhecida pelo nome de Rua dos Ciganos.

As primeiras levas de ciganos chegados ao Brasil, condenados por crimes de roubo se instalaram no Ceará e Maranhão em virtude de carta régia de 15 de abril de 1718 (Arquivo do Distrito Federal – vol. IV – pág. 404). Deveria haver o maior cuidado nas relações entre os naturais do Brasil, portugueses e ciganos, de forma a evitar-se o conhecimento da língua e da gíria dos degredados, que seriam exterminados do reino.

Daquelas capitanias do norte se trasladaram os ciganos, pouco depois, às terras da Bahia, de Pernambuco e do Rio de Janeiro. Nesta cidade estacionaram no Campo da Lampadosa, entre as ruas do Cano e do Piolho e o Campo de Sant’Ana. Muito antes, porém, dos numerosos bandos de ciganos aqui chegados no século XVIII, encontramos referências a ciganos na Bahia quinhentista, através da Primeira Visitação do Santo Ofício às partes do Brasil – (págs. 303, 388 e 400). O vol. 3.º do Arquivo do Distrito Federal – pág. 191, insere curioso estudo acerca dos ciganos no Brasil, da lavra do sociólogo português Adolfo Coelho e ampliado recentemente, sob outro critério histórico, por João B. de Oliveira China, numa série de artigos publicados no Jornal do Comércio.

Por deliberação da Câmara Municipal de 8 de junho de 1865, por proposta do vereador João Antônio Leite Junior, teve a antiga Rua dos Ciganos o nome de Constituição, que foi aprovado por portaria do Ministério do Império de 28 daquele mês e ano.

Fonte

Imagem destacada

  • Rua dos Ciganos no Guia e Plano da cidade do Rio de Janeiro, 1858, publicado por A.M.Mc. Kinney e Roberto Leeder, via Biblioteca Nacional.

Mapa