Excursão à Tijuca

No dia 12 de outubro de 1903, o Presidente da República, Dr. Francisco de Paula Rodrigues Alves, a convite do Prefeito do Distrito Federal, Dr. Francisco Pereira Passos, fez uma excursão à Tijuca, onde assistiu à inauguração do jardim no Alto da Boa-Vista (atual Praça Afonso Viseu).

Chafariz de Grandjean de Montigny na Praça Afonso Viseu no Alto da Boa Vista

Desde 1900 que esse melhoramento era reclamado. Autorizou-o o Prefeito Dr. Carlos Leite Ribeiro, em 1902, depois de haver o Ministério da Agricultura, Comércio e Obras Públicas passado para a Municipalidade os 15.000 metros quadrados da referida praça. Foi, entretanto, o Dr. Pereira Passos, seu sucessor, quem providenciou para que se realizassem as obras de ajardinamento, no que foram empregados 25.000 metros cúbicos de aterro, 300 carroças de pedra e 390 barricas de cimento.

Às 9 horas da manhã daquele dia, acompanhado de suas filhas, as senhoritas Noêmia e Marieta, e de seu secretário particular, Dr. Rodrigues Alves Filho, o Chefe da Nação encontrou-se com o Prefeito no largo de São Francisco. Aí tomaram um bonde de luxo da Cia. de São Cristóvão, destinado especialmente às excursões presidenciais e que pela primeira vez saía à rua. Os cocheiros e condutores trajavam sobrecasaca.

Às 9:45 h. chegaram à “Junção do Elétrico”, onde baldearam para o trem elétrico da antiga Estrada de Ferro da Tijuca.

A viagem até ao Alto da Boa-Vista correu alegre, no meio de animada palestra. Faziam parte da comitiva o Marechal Francisco de Paula Argollo, o General Hermes da Fonseca, o Conde de Figueiredo, deputados Melo Matos, Cassiano do Nascimento, Gastão da Cunha e Anísio de Abreu, Conselheiro Camelo Lampreia, Drs. Medeiros e Albuquerque, Monteiro Lopes, Nascimento Silva, Leopoldo Bulhões, Chefe de Policio interino, e outras pessoas gradas.

A praça no Alto da Boa-Vista estava repleta de gente, recebendo os ilustres visitantes os cumprimentos das famílias mais importantes do local.

Depois de percorrido o belo jardim, todo plantado de magnólias, camélias, cravinas e roseiras, tendo ao centro um grande pavilhão rústico para música, construído sobre um rochedo, e inaugurado o novo logradouro público da cidade, o Dr. Pereira Passos convidou o Presidente da República a tomar lugar na carruagem posta à sua disposição, fazendo o mesmo as demais pessoas da comitiva, que seguiram em oito carros.

Mesa do Imperador, Estrada da Vista Chinesa, Alto da Boa Vista.

Após longa viagem, chegaram ao lugar conhecido por “Mesa do Imperador”, assim denominado por ter sido o ponto em que D. Pedro II fazia suas refeições, quando excursionava pela floresta da Tijuca. A velha mesa de pedra e o caramanchão haviam sido inteiramente restaurados.

Em seguida, tomaram novamente as carruagens e rumaram em direção à “Vista Chinesa”, sendo visitados o recém-construído pavilhão em estilo oriental e o chafariz, em que se lia a seguinte inscrição: “P.M. – Prefeito Dr. P. Passos – 17-9-1903”.

De regresso da “Vista Chinesa” dirigiram-se todos ao Grande Hotel White, de Martim Cifre Bennasar, onde, às 13 horas, lhes foi servido um opíparo almoço.

Após os discursos e trocas de brindes, o Dr. Rodrigues Alves e demais excursionistas regressaram à cidade. Na ocasião em que tomava o trem elétrico, um dos convidados, o Dr. Monteiro Lopes, tropeçou e caiu num valão, o que resultou ficar todo molhado, além do susto por que passou.

A fotografia destacada mostra o chalé da “Vista Chinesa”, já na era do automóvel, em 1906, ano em que foram licenciados 143 desses veículos no Rio de Janeiro. Três anos antes, a Prefeitura licenciara apenas 6 automóveis, cabendo a licença n.º 1 ao Dr. Francisco Leite de Bittencourt Sampaio. Isto foi em 29 de agosto de 1903. A segunda fotografia mostra a Praça Afonso Viseu com o Chafariz de Grandjean de Montigny e a terceira fotografia mostra a Mesa do Imperador em 2016.

Fonte

  • Dunlop, Charles Julius. Rio Antigo. 3ª Tiragem ed. Rio de Janeiro: Editora Rio Antigo, 1963. (Composto e impresso na Gráfica Laemmert, Ltda.).

Texto original

Mapa