Relógio da Glória

COMO todos sabem, a Rua da Glória corre em nível superior ao da Rua Avenida Augusto Severo, sustentada por um extenso paredão de pedra. Este paredão foi construído em 1904, pelo Prefeito Francisco Pereira Passos, que o embelezou com a balaustrada retirada do jardim da Praça Tiradentes.

No extremo Sul dessa balaustrada, que serve de parapeito ao longo do paredão, foi erguida uma coluna de 7 ½ metros de altura e, no alto, colocado um relógio da marca “Krussman”, de quatro mostradores luminosos.

Como não havia ainda eletricidade no bairro, quando foi instalado o relógio, a Inspetoria de Matas, Jardins, Arborização, Caça e Pesca, da Prefeitura, apelou para a empresa de bondes, Companhia Ferro-Carril do Jardim Botânico, tendo esta, por ofício de 14 de abril de 1905, respondido nos seguintes termos:

Glória entre 1908 e 1919, via Library of Congress.

Acedendo, com a melhor boa vontade, à solicitação do Exmo. Sr. Prefeito do Distrito Federal, no sentido de fornecer, provisoriamente, a energia elétrica para a iluminação do relógio da praça da Glória, até que haja serviço de iluminação elétrica feito na zona pela empresa concessionária, verifica, porém, a Cia. Ferro-Carril do Jardim Botânico que todo o dispositivo do mesmo relógio foi estabelecido de maneira a receber subterraneamente a corrente, o que difere do modo pelo qual esta Companhia emprega a eletricidade em suas linhas, na forma dos contratos vigentes e de que ela não se tem afastado em caso algum.

No entanto, não desejando embaraçar a inauguração do relógio, antes querendo contribuir com este melhoramento em via de execução, peço-vos leveis ao conhecimento do Exmo. Sr. Prefeito que esta Companhia está pronta a aceder aos desejos de S. Exa., fazendo uma exceção, em caráter provisório, uma vez que fique estabelecido que se houver algum transtorno na nossa linha, resultante da derivação subterrânea de energia elétrica para aquele ponto, reserva-se a mesma Companhia o direito de desligar a corrente, avisando-vos, oportunamente, para que vos digneis providenciar a fim de que seja feita de outra qualquer maneira a iluminação do referido relógio”.

Pôde, assim, ser inaugurada, desde logo, a iluminação do relógio da Glória, que principiou a funcionar no dia seguinte, 15 de abril de 1905.

A fotografia destacada mostra o velho relógio, em 1907. Na segunda fotografia, da Biblioteca do Congresso dos EUA, tirada entre 1908 e 1919, que mostra a Glória, pode ser visto o relógio à direita.

Contam que este relógio foi “rifado” certa vez. Um espertalhão mandou confeccionar talões de uma “Ação entre Amigos”, de um lindo relógio elétrico, passando-os a numerosos incautos. Só mais tarde, corrida a loteria, foi que o “felizardo”, indo buscar seu prêmio, verificou ter sido vítima de um autêntico conto do vigário…

Fonte

  • Dunlop, Charles Julius. Rio Antigo. 3ª Tiragem ed. Rio de Janeiro: Editora Rio Antigo, 1963. (Composto e impresso na Gráfica Laemmert, Ltda.).

Texto original

Mapa – Relógio da Glória