Avenida Niemeyer

Esta avenida mede 4.700 metros; é larga, plana, bem calçada, bem iluminada, aberta na rocha, a 35 metros sobre o nível do mar que espuma, festejando-a, sem atingi-la.

Cartão Postal “Avenue Niemeyer”

Foi tentada esta passagem coleando a montanha em 1891 pela empresa que projetara uma linha férrea de Botafogo a Angra dos Reis, e que rasgou os primeiros 800 metros do lado do Leblon. Depois, em 1913 o Diretor do Colégio Anglo Brasileiro, procurando melhorar o acesso ao seu Estabelecimento, aperfeiçoou essa obra abandonada dando-lhe mais 400 metros de extensão. Em 1915 o Com. Conrado Niemeyer, proprietário no local, empreendeu à sua custa a construção da belíssima passagem, e ofereceu-a como logradouro público à Prefeitura. Em 1920, conhecida a pompa do cenário com que ali se maravilha o transeunte, a Prefeitura resolveu alargar a estrada, aumentar o raio das curvas, macadamizá-la, e inaugurá-la definitivamente por ocasião da visita do Rei Alberto, da Bélgica.

Desde o seu traçado primitivo a Avenida Niemeyer é um primoroso lugar de recreio para os olhos; hoje percorrê-la, a pé ou de automóvel, é um prazer de que fica memória indelével. A vista do mar é sempre majestosa, as perspectivas terrestres são de uma variedade e de uma formosura que se não sabe como descrever. De dia o Sol matiza deslumbrantemente as águas e as árvores; as manhãs e as tardes têm aspectos arrebatadores; se à noite esplende o luar, surgem quadros surpreendentes.

Nem as palavras, nem as gravuras despertam ideia aproximada dos encantos que tem um passeio pela Avenida Niemeyer que liga a Praia da Gávea [1] à Praia do Leblon, extremo Sul das praias de Copacabana.

Memorando a iniciativa há uma placa de mármore embutida no granito, e com a seguinte inscrição:

“Automóvel Club do Brasil. Em 20 de Outubro de 1916.
O primeiro Congresso Nacional de Estradas de Rodagem
inaugurou esta Avenida denominada – Avenida Niemeyer,
em homenagem ao Comendador Conrado Jacob Niemeyer
que a concebeu e patrioticamente a custeou.
Projetada pelo Dr. Paulo de Frontin, e construída pelo
1° Tenente Engenheiro Álvaro Conrado de Niemeyer.”

Fonte

  • Rosa, Francisco Ferreira da. Rio de Janeiro em 1922-1924. Rio de Janeiro: Typographia do Annuario do Brasil (Almanak Laemmert), 1924. 222 p. (Coleção Memória do Rio 3 - Reprodução).

Nota do Editor

  1. Atual Praia de São Conrado.

Imagem destacada

  • Avenida Niemeyer vendo-se a Gruta da Imprensa, a Praia de São Conrado e a Pedra da Gávea.

Mapa