Terra Carioca – Fontes e Chafarizes

  • Corrêa, Armando Magalhães. Terra Carioca - Fontes e Chafarizes. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1939. 214 p. Ed. do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. (Reimpressão feita pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Coleção Memória do Rio, vol. 4).
Prefácio

A Revista do Instituto Histórico publica mais um trabalho do professor Armando de Magalhães Corrêa. Trabalho que se recomenda pela minúcia das informações e quanto à parte ilustrativa. Dedicado ao estudo das cousas cariocas, buscando pessoalmente conhece-las, o Sr. Magalhães Corrêa merece todos os louvores que o incitem a prosseguir em tais investigações.

Chafariz do Palácio do Catete

Construído o palacete pelo Barão de Nova Friburgo (Antonio Clemente Pinto), em 1860 ou 1862, legado depois a seus filhos, que viviam na fazenda do Gavião (Cantagalo), deixando o mesmo em abandono, foi então vendido ao conselheiro Francisco de Paula Mayrink, que o transferiu ao governo, por intermédio do Dr. Aarão Reis, diretor do Banco...

Mais...

Bica da Rainha

Na encosta do morro de Dona Martha, antigamente, à margem direita do Rio Carioca e atualmente (1935), rua das Laranjeiras, havia uma fonte de águas férreas, denominação que tomou o lugar; dela existe uma reprodução litográfica que veio até nós, único documento da época. Bica da Rainha em Laranjeiras, por P. G. Bertichem - Lithographia...

Mais...

Chafariz das Lavadeiras

Como aconteceu com os mananciais do Carioca, também foram atingidos um ano depois os dos Rios Comprido e Maracanã. O decreto de 17 de Agosto de 1818 mandava proteger o terreno das nascentes do Rio Comprido, Trapicheiro, Meirelles, do São João e Maracanã. Sendo escassas as águas devido às secas e quando havia enxurradas vinham...

Mais...

As fontes em forma de Stella

Existem na cidade e arrabaldes, no interior dos jardins públicos, diversas neste gênero. Designavam-se Stella, na antiguidade, as pedras monolíticas colocadas verticalmente, tendo inscrições destinadas a conservar a recordação de fatos históricos. Hoje em dia servem para monumentos funerários e de pedestal para vaso, estatueta ou motivo decorativo, como fonte ou bica para serventia pública....

Mais...

Chafariz da Praça 11 de Junho

Sendo necessário o aterro do caminho que ia da cidade à Quinta do Elias, depois Imperial Quinta da Boa Vista, para a passagem da carruagem do Príncipe Regente até ao Paço, e ao mesmo tempo para embelezar o caminho, construiu-se um Rocio em quadratura, conhecido pelo nome de praça de São Salvador, mas substituído pelo...

Mais...

Chafariz da Praça Quinze de Novembro

O chafariz monumental da Praça 15 de Novembro é o tipo dos ornamentais que existem nas grandes capitais. Sobre uma sapata circular, repousa um patamar de quatro degraus, interceptados por quatro socos diametralmente opostos situados no mesmo nível do patamar, que outrora tinham tubos metálicos, por onde se abasteciam os marítimos. Nesse patamar assenta uma...

Mais...

Chafariz da Praça São Salvador

No centro do jardim da Praça São Salvador, existe um chafariz, dividido em duas partes: uma, de cantaria e outra, de ferro. A de pedra é uma enorme e bela bacia, com três degraus, de forma circular, com oito porções de círculo octolobado. A de ferro fundido tem o corpo central, em forma de cubo...

Mais...

Chafariz das Marrecas

O aqueduto que liga o morro de Santa Tereza ao de Santo Antônio, num lance de trezentos metros, foi denominado, pelo povo, “Arcos da Carioca”; depois de ligar-se a Santo Antônio, bifurcava-se em um conduto de pedra e cal, levando água da Carioca ao “Chafariz das Marrecas”, que se achava na encosta do mesmo morro,...

Mais...

Chafariz das Musas

No lugar onde existia um repuxo feito por frei Leandro construído há cerca de 70 anos, na parte central da aleia das palmeiras, foi colocado o chafariz do Largo da Lapa, pelo Dr. J. Barbosa Rodrigues, diretor do Jardim Botânico, em 1895. Este chafariz tinha o material completamente conservado e nunca funcionara no referido Largo, conforme as...

Mais...

Chafariz das Saracuras

Foi depois da abertura da Avenida Rio Branco e demolição do Convento da Ajuda, localizado outrora na atual Cinelândia, que se conheceu o chafariz. Fonte das Saracuras no Convento da Ajuda, de Augusto Malta (1864-1957), via Biblioteca Nacional Pois viveu ele sempre ignorado no solitário ambiente das freiras da Ajuda, longe dos olhares profanos, no...

Mais...

Chafariz de Santa Rita

Com a canalização dos rios Comprido e Maracanã, foi mais fácil a colocação dos chafarizes nos lugares mais afastados da Carioca. Chafariz e Igreja de Santa Rita no Largo de Santa Rita, por Eduard Hildebrandt, 1844, via Kupferstichkabinett der Staatlichen Museen zu Berlin - Preußischer Kulturbesitz No Largo de Santa Rita, no fim da Rua dos...

Mais...

Chafarizes dos caminhos da Glória e Mata-Cavalos

São verdadeiras páginas da história da cidade os chafarizes cariocas; por eles se conhece tudo que diz respeito aos melhoramentos urbanos, nos tempos dos Vice-Reis. Mas nem assim escaparam às mãos dos renovadores, cujo único predicado que possuem é terem viajado. Mas como? Ter conhecido os Boulevards de Paris e a Côte d’Azur… Verdadeiramente, o...

Mais...

Passeio Público

Numa cabana pequenina, tendo um coqueiro do lado, solitário abrigo, entre vegetação, um verdadeiro oásis, em plena cidade colonial, ao lado da lagoa do Boqueirão, vivia Suzana, a morena cor de jambo, cabelos cor de cabiúna e olhos divinais, em companhia de sua avozinha. À tarde, reunidos a avozinha, Suzana e seu primo e noivo,...

Mais...